sexta-feira, 4 de abril de 2008

Graça Freitas


Quando a colega Graça Freitas deixou de estar entre nós, no início de Janeiro, assim inesperadamente, ficámos tão tristes e incrédulos, meio perdidos… os olhares molhados, as cabeças baixas… e agora não há dia em que não nos aperte a saudade… A sua vida, de repente interrompida, tocou a todos os que partilharam com ela momentos de trabalho e alegria, sorrisos, dificuldades… Tantos anos de convívio, tantos trabalhos realizados em conjunto… sempre contando com o seu empenho, a sua competência , a sua boa disposição. Mas, como disse a filha Clara na hora da despedida, nós vamos lutar. Para que o desânimo não nos vença, a lembrança dela há-de acompanhar-nos.

Grupos 330 e 340

1 comentário:

Élio & Filomena disse...

As pessoas não morrem, apenas deixam de se ver... Todos nós somos eternos, e ao contrário da chuva as memórias não acabam.
Um beijo Professora Graça.
Até Sempre!!!